LADEIRA OBIDENSE

Junior Coelho

Nas tuas ruas as marcas da cabanagem

Nas tuas arquiteturas lembranças coloniais

O rio que te corteja paranatinga te serpenteia

Em tuas lendas e aningais.

 

A lua que singra a costa da serra

Reluzindo o facho de luz nas tuas ladeiras

Vem brinca Venâncio

Sacramenta em nós

Filhos pauxis

O prazer de viver

Trazendo a arte ancestral

Nas ladeiras obidenses

Berço de Inglês de Souza

Gênese Amazônida

Mirante meu olhar distante

E eu partir mas, aqui me encontro, de conto

Lenda e mito

 

Escancarando a janela do amanhã

Nos meios fios a história do teu povo

E o sangue que corre em meu ser

É Amazônia

E o rio que corre em meu ser

São as Ladeiras obidenses

Para vida Inteira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s